O consumo de peixes no litoral. Conheça as opções disponíveis em Florianópolis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

O que você vai ler aqui

Estamos em um período do ano em que o consumo de peixe se eleva no território brasileiro. Isso ocorre devido à Quaresma, tradição católica de não ingerir carne vermelha durante os 45 dias que antecedem a Páscoa. 

Um artigo, publicado pela Aquaculture Brasil, aponta que é na Semana Santa onde a venda de pescados se intensifica. 70% dos entrevistados disseram que compram mais peixe nesta época do que em outro período. 

Fato é que as questões culturais e/ou religiosas influenciam nesse resultado, quando o peixe passa a ser consumido apenas em ocasiões especiais e datas festivas. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que o produto esteja no cardápio de uma a duas vezes na semana. Afinal, sua proteína é rica em minerais, como ferro, zinco, cálcio, iodo e selênio; possui vitaminas A, D e E; ácidos graxos poli-insaturados ômega 3 e tem baixo teor de gorduras insaturadas.  

Temos ainda que considerar que o Brasil é rico em água doce e salgada, com cerca de 2,5 mil peixes diferentes em nosso território. Em Florianópolis, a ilha é cercada por muita água e diversos tipos do produto, o que facilita a compra e a adesão dele à dieta. Então, não há desculpa para o consumo ser tão centralizado em uma época! 

Pensando nisso, reunimos informações para você conhecer um pouco mais sobre os tipos de pescados florianopolitanos, que vão contribuir para o aumento da iguaria em suas refeições ou encontrar pratos saborosos com peixe. 

Os peixes do litoral catarinense 

Na costa catarinense, existem 139 tipos de peixes, e uma das espécies mais conhecidas é a Tainha. Entre maio e junho, os cardumes chegam ao litoral do Estado. Os pescadores levam suas redes ao mar para capturá-los e, posteriormente, comercializá-los. Quando eles retornam à praia, é inclusive uma atração à parte, devido à abundância da pesca.  

No entanto, de acordo com uma pesquisa realizada pela professora Michelle Kormann da Silva, do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), apenas 6 dos peixes nativos de Santa Catarina são consumidos pelos moradores. 

Exemplo são os peixes Bonito e Serrinha, que pertencem à família do atum e são lembrados pela textura, sabor e cor. O Gordinho, um peixe pequeno e com carne saborosa. Manezinho ou Canarinho, espécies carnudas, semelhante à Anchova. O Olho de Cão, uma opção para as estações primavera/verão. E o Pampo, um peixe exportado para os Estados Unidos e muito apreciado por lá, semelhante ao Manezinho. Porém, outras espécies, como Palombeta, Guaivira, Olhete, Parati e Corvina, passam despercebidos pelos consumidores. 

Por outro lado, o peixe que os catarinenses mais gostam é o salmão, apesar de não ser nativo da ilha. Isso é o que aponta a pesquisa da professora da IFSC. Inclusive, ele está presente em 86% dos cardápios de restaurantes do litoral de Santa Catarina. 

Em Florianópolis, o Osli Restaurante é referência em gastronomia, salientando os ingredientes nativos. Existem sugestões saborosas à base de peixe (água doce ou salgada) e frutos do mar, no almoço e no jantar.  

Crudo de atum com coalhada de kefir e Tapioca suflada com truta defumada são opções para entrada, assim como Vichyssoise com vieiras grelhadas e Salada de favas com camarões grelhados e molho grego. Entre os pratos principais, o Filé de peixe branco ao beurre blanc de uva verde faz sucesso. O Polvo à galega LK e o Talharim aos frutos do mar também são excelentes pedidas. 

O bacalhau do almoço de Páscoa 

Apesar das sugestões estarem disponíveis ao longo do ano para consumo dos clientes, é impossível ignorar a expectativa para o almoço de Páscoa. O tão desejado e tradicional bacalhau para esta ocasião não pode faltar. 

Por isso, o LK Design Hotel preparou dias especiais para os hóspedes, começando com música ao vivo no LK Café Bar, na sexta-feira, passando pela degustação de chocolates com chás no sábado e culminando com o delicioso almoço no Osli Restaurante no domingo, 17 de abril.  

No último dia, apreciando a esquina mais charmosa de Florianópolis, será servido bacalhau com acompanhamentos à altura. O menu é assinado pelo chef Felipe Silva. O valor por casal para a refeição é R$ 429 + taxas (sem bebidas). É possível reservar mesas pelo 48 3112-2412

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

Outros posts

Todo conteúdo aqui publicado é protegido pela lei de direitos autorais. Se interessou por algum conteúdo? Entre em contato conosco sobre como utilizar o material